Em 2013, na viagem que fizemos à Índia, uma das regiões que visitámos foi a de Dharamshala onde vive o Dalai Lama.

 2 de Outubro – 16:30h – quarta feira – partida de Lisboa em direção a Nova Delhi

Viagem tranquila com escala em Heatrow – Londres

3 de outubro quinta feira – chegada a Delhi

10:30h (manhã) Aterrámos em Nova Delhi.

Sair do avião é como chegar a casa, sentimo-nos logo parte do sítio e das pessoas. Temos sempre que passar na emigração e só depois saímos do aeroporto.

Aeroporto de Nova Déli yogafaro.com

Aeroporto de Nova Déli yogafaro.com

Podíamos ter ido de metro, mas as mochilas pesadas e o calor que fazia nesta época levaram-nos a optar por um Táxi. Próximo destino Paharganj (o destino que qualquer estrangeiro conhece)

Paharganj Nova deli yogafaro.com

Paharganj Nova deli yogafaro.com

12:30h check in no hotel – Pequeno e escondido numa ruela secundária onde já ficámos um par de vezes. Mas a razão principal de escolhermos um sítio básico no Paharganj foi o facto de só ficarmos no hotel umas horas, nem sequer íamos lá dormir a noite, pois no final da tarde teríamos que ir para a estação de comboios de Velha Delhi (old Delhi train station). Só precisávamos de uma cama para estender um pouco o corpo, após mais de 24 horas de viagem entre comboios, aviões e táxis, tudo isto desde que partimos do Algarve. Dormimos um pouco, quer dizer, fechámos um pouco os olhos, há uma certa agitação da viagem que não deixa adormecer completamente.

yogafaro.com

Quarto do Hotel

14:30h Estávamos a almoçar no restaurante “Roof Top” em pleno paharganj, com uma vista abrangente daquela área! Comida picante como sempre, mas a simpatia e amabilidade do pessoal da casa são ao estilo indiano. Para mim é o de sempre, o favorito “mix veg e butter nann” que é uma mistura de vegetais salteados com ou sem molho e um pão indiano, parecido ao tradicional chappati! Após a refeição voltámos ao hotel para descansar mais um pouco.

Restaurante Roof Top em Nova Deli

Restaurante Roof Top em Nova Deli

18:30 check out do hotel e apanhámos um auto-ricksaw com destino – estação de comboios de velha Delhi, porque fica numa área mais antiga da cidade de Nova Delhi. No entanto para alguns destinos os comboios partem desta estação. No caminho como era hora de ponta, apanhámos muito trânsito, bicicletas, carros, camionetas, ricksaws, pessoas, animais e muita poluição, tudo circula naquelas ruas.

A caminho da estação de comboios de Old Deli

A caminho da estação de comboios de Old Deli

A viagem deve ter demorado cerca de uma hora. Chegámos à estação, que mostrou de imediato o seu ar pesado, mais velho e escuro… o nosso comboio apareceu logo indicado no placard eletronico. Fomos para a linha, comprámos umas bananas e chegou o comboio.

Old Deli train station

Old Deli train station

20:20h O comboio partiu com destino a Patankot, o nosso destino. Durante mais ou menos 11 horas íamos estar neste comboio… Rodeados de famílias indianas, havia uma mesmo ao nosso lado tinham um bebé de 10 meses, era uma família de classe média pois falavam inglês com o bebé! Nesta fase da viagem o sono já era muito e com sorte iríamos dormir bem durante umas horas…

À espera do Comboio Jammu mail

À espera do Comboio

4 de Outubro, sexta feira – chegada a Patankot

7:00h da manhã – estação de Patankot – tipicamente indiana, somos os únicos turistas. Era muito cedo e não havia muita gente na estação, sentámo-nos com as mochilonas logo nuns banquinhos para decidir o que fazer, pois o próximo comboio que queríamos apanhar partiria daquela estação às 10:00h da manhã – era o “Toy train”, ou comboio de brincar pois comparado com todos os outros parecia um brinquedo. Mas tínhamos lido muito sobre a viagem do Toy Train e queríamos muito fazê-la. Deveríamos ir para a plataforma (linha 4) algum tempo antes se queríamos viajar sentados durante aproximadamente 4 horas.

Toy Train em Pathankot

Toy Train em Patankot

10:00h parte o comboio de brincar na direção de kangra. Contudo não chegaria a Kangra porque caiu nas últimas cheias uma das 900 pontes que este comboio atravessa. Então a última estação à qual iríamos chegar era “Jwalamukhi Road”.

Carruagem do Toy Train

Carruagem do Toy Train

A viagem era realmente bonita, tudo como tínhamos lido, paisagens verdejantes, montes e vales e muita muita natureza sem esquecer que estávamos a viajar na direção dos Himalaias na província Himachal Pradesh e portanto cada vez subíamos mais e a paisagem apresentava maiores declives e pontes mais altas.

Paisagem Toy Train

Paisagem Toy Train

Já andávamos há três dias em viagens desde que tínhamos saído de casa sem uma única noite normal numa cama, por isso levei o tempo todo a dar marradas na janela, tinha muito sono. Ainda bem que conseguimos ir sentados porque neste comboio vai tudo “enlatado”, uns até vão pendurados nas portas laterais do comboio.

Toy Train from Patankot

Toy Train from Patankot

14:00h chegada à última estação possível. Já estávamos no meio de montanhas. Todas as pessoas saem do comboio e mais uma vez somos os únicos estrangeiros num qualquer ponto da Índia profunda… Agora era preciso encontrar o ponto onde se apanha o autocarro “bus” para Dharamshala – a Terra no sopé dos himalayas onde reside o Dalai Lama em exílio e onde reside uma grande comunidade tibetana.

Jawalamukhi

Jawalamukhi

14:30 A mochila pesada, o calor, o casaco, tudo custa mas com a ajuda de um rapazito muito simpático que nos indicou onde apanhar o próximo autocarro lá fomos na direção de Dharamshala. O condutor parecia louco, como muitos condutores de autocarro e carros na Índia, parece que querem voar. Passámos por Kangra. Uma cidade com grande confusão e caos como muitas outras. De vez enquanto abria-se os olhos e via-se a paisagem mas com o sono e o cansaço, dormir era inevitável.

Bus para Dharamshala

Bus para Dharamshala

16:00h Chegada a Dharamshala. Aqui tivemos que mudar de autocarro e seguir para Mcloadganj, que era a área residencial para turistas e onde está a residência oficial do Dalai Lama. Este segundo bus que apanhámos ía completamente lotado, era uma carreira local em hora de ponta, íamos literalmente uns no colo dos outros. Uma indiana que se sentou ao meu lado, quase que me esmaga e depois puxou as minhas pernas para o colo dela eu vinha basicamente deitada e comprimida. Do pouco que se conseguia ver da paisagem era uma zona mesmo linda, montanhas, árvores, pinhal, verde, nevoeiro, rios, cascatas…

Bus para Mcloadganj

Bus para Mcloadganj

17:30 Chegámos a McloadGanj, mas a viagem não termina aqui. Esta zona é muito barulhenta, tem muito trânsito e confusão, então a ideia era seguirmos mais para cima para Dharamkot, uma zona aqui perto mais dentro da montanha, uma espécie de aldeia com ruazinhas pequenas, sem trânsito e com uma série de hotéis e guest-houses. Apanhámos um ricksaw para Dharamkot e lá seguimos uns 15 minutos de viagem. Esta viagem também se fazia a pé mas sem mochilas às costas, uns dias depois acabámos por fazer este percurso a pé, mas naquele dia era para seguir o mais rápido possível, precisávamos urgentemente de parar num quarto qualquer.

18:00 O riksaw deixa-nos no último ponto transitável, a partir daqui tínhamos que continuar a pé. Como não tínhamos reservado quarto íamos à descoberta, o que não era fácil com o cansaço e a noite a cair.

Não dava para escolher muito pelo menos para a primeira noite, então seguimos umas placas que diziam – Paul Guest house.

O rapaz na receção mostrou-nos um quarto, mas tinha um cheiro intenso a humidade (esta zona é toda ela muito húmida). Pedimos para ver outro quarto, este não era tão húmido e como não tínhamos nem tempo nem paciência para mais, pelo menos naquela noite tínhamos um sítio para ficar. Tratámos da burocracia na receção, pusemos as mochilas no quarto e saímos para ir comer qualquer coisa num restaurante ali perto.

Finalmente após 3 dias de viagens dormiríamos numa cama.

Jantar em Dharamkhot

Jantar em Dharamkhot